Cookie Consent by FreePrivacyPolicy.com Portal da Secretaria de Educação de Guarulhos


Trabalho de inclusão do Conservatório de Guarulhos é compartilhado no Uruguai



Por Carla Maio
Publicado em 22/08/2017
Editado em 27/01/2020, às 12:37

344 visualizações

Na última semana, o Diretor de Cultura Tiago Ortaet, e o coordenador do núcleo de inclusão do Conservatório Municipal de Guarulhos, Fábio Bonvenuto, visitaram a cidade de Montevideo, no Uruguai, a convite do Ministério da Educação e Cultura do país. O convite oficial foi realizado por ocasião do trabalho de inclusão de alunos com deficiência visual e auditiva realizado pelo Conservatório de Guarulhos, compartilhado com a equipe responsável pela inclusão de pessoas com deficiência no Uruguai. 

A iniciativa teve ainda como objetivo o compartilhamento de experiências para o desenvolvimento de políticas públicas para crianças e jovens com necessidades especiais em ambos os países. Muito embora o caráter oficial da visita, toda a viagem foi custeada pelos próprios servidores, que arcaram com despesas de transporte, hospedagem e alimentação.

A agenda contou ainda com visita ao Teatro Solis, para acompanhamento da apresentação da Orquestra Juvenil Del Sodré com os projetos culturais e sociais do Programa Fábricas de Cultura, como o grupo de percussão “Aguante Beethoven” formado por pessoas surdas, e “Guitarras e Vozes de Musibraille” que conta com músicos cegos e de baixa visão.

“Há 3 anos, tivemos a oportunidade de compartilhar com profissionais uruguaios as experiências e vivências do projeto “Música do Silêncio” do Conservatório de Guarulhos; em contrapartida, fomos recebidos aqui no Uruguai por uma comitiva igualmente preocupada em ampliar esse debate e firmar parcerias para trabalhos futuros”, comemorou o professor Bonvenuto. 

Além de visita à sede do MEC, Tiago Ortaet e Fábio Bonvenuto tiveram a oportunidade de conhecer ateliês de artistas uruguaios, estúdios públicos de música, escolas públicas de educação básica, a casa nacional da juventude, o ministério do desenvolvimento social e as fábricas de cultura.

“Tivemos a chance de expor alguns resultados que já alcançamos na Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, sobretudo frente ao modelo de ateliês compartilhados, à ocupação e otimização dos espaços públicos e estúdios populares, bem como ações de fortalecimento da cultura inclusiva”, observou Ortaet.




Outras Notícias