Cookie Consent by FreePrivacyPolicy.com Portal da Secretaria de Educação de Guarulhos


Exposição fotográfica revela história da mais antiga biblioteca de Guarulhos



Por Carla Maio
Publicado em 22/11/2019
Editado em 14/01/2020, às 12:24

360 visualizações

O ano é 1968. Uma imagem mostra jovens estudantes segurando cartazes e entoando palavras de ordem contra proposta de uso do novo prédio da Biblioteca Monteiro Lobato, já instalada na Rua João Gonçalves, no centro de Guarulhos, para abrigar outras secretarias municipais. 

A foto de autor desconhecido é uma das 37 imagens que compõem a exposição A Biblioteca e seus 79 anos, em exibição no Salão Expositivo da Biblioteca Monteiro Lobato até janeiro de 2020, de segunda a sexta, das 9h às 17h45; sábados, das 8h às 12h45. As fotos, que integram o acervo da Seção de Artes Visuais da Secretaria de Cultura, oferecem ao público a dimensão da importância da Biblioteca Monteiro Lobato em seus quase 80 anos de funcionamento.

Nesse percurso, pesquisa, informação e entretenimento literário sempre fizeram parte do cardápio de atividade do espaço. Hoje, o Sistema Municipal de Bibliotecas Públicas de Guarulhos, composto pela Biblioteca Central Monteiro Lobato e sete bibliotecas ramais, somam um acervo diversificado e com grande qualidade de obras, com mais de 197 mil livros, dos quais 85 mil encontram-se disponíveis para consulta e empréstimo na própria Monteiro Lobato.

A Biblioteca Monteiro Lobato e seus espaços

A Biblioteca Pública Municipal de Guarulhos foi inaugurada em 10 de novembro de 1940 e ficava localizada na Rua Felício Marcondes, esquina com a Rua Sete de Setembro. Na ocasião, serviu como homenagem ao aniversário do Estado Novo. 

Foi somente em 1968, quando a unidade foi transferida para o novo prédio, na Rua João Gonçalves, que ela recebeu o nome de Biblioteca Monteiro Lobato (BML).
Se a BML fosse uma casa, certamente o Setor de Processamento Técnico seria a cozinha. E não é difícil entender o porquê, já que é por esse espaço onde todas as obras doadas passam antes de seguir para as prateleiras, localizadas no primeiro andar. 

Ali, os funcionários dedicam tempo e atenção para catalogar e classificar as obras, identificando-as adequadamente para facilitar a consulta dos frequentadores. 
No espaço de pesquisa, os visitantes encontram inúmeras estantes de livros e amplo salão com mesas e cadeiras, ambiente de acolhimento idealizado para que as pessoas se sintam no conforto de seus lares enquanto saboreiam obras literárias, descobrem obras filosóficas, folheiam revistas de histórias em quadrinhos ou mangás.

Antes de ir buscar o livro na Biblioteca Monteiro Lobato, os usuários têm a facilidade de consultar antecipadamente a disponibilidade de obras do acervo e se as mesmas encontram-se disponíveis para empréstimo. Para isso, basta acessar o link https://www.biblioguarulhos.com.br/ e consultar o acervo pelo nome do autor ou da obra. A informação, atualizada periodicamente pelos bibliotecários, mostra as obras tanto da BML quanto das bibliotecas ramais.

Como o jardim lá de casa

Em sua área externa, a Biblioteca Monteiro Lobato conta ainda com um espaço bastante privilegiado com mesas e cadeiras, a Praça João Ranali, que recebeu o nome de um de seus idealizadores. A praça abriga uma variedade de espécies de árvores e um projeto sustentável para adubação das plantas com lixo orgânico, transformado pelos próprios funcionários. 

Nessa área, amplamente frequentada pela gente que circula pelo centro da cidade, a equipe da BML já realizou inúmeras atividades literárias, como o Projeto Pé de Livro, ação que integrou a programação especial e gratuita selecionada para divertir os usuários durante a comemoração de 79 anos. Nessa atividade, livros foram dispostos nas árvores da Praça João Ranali, por aqueles que se interessarem pela obra.

Além dos serviços de empréstimo, consulta e orientação à pesquisa e indicações para o aprendizado da normalização de trabalhos técnico-científicos, a Biblioteca Monteiro Lobato também oferece a seus visitantes atividades culturais que acontecem no Auditório Pedro Dias Gonçalves; aulas no Espaço Braile Prof.ª Alice Ribeiro; circulação de estudantes de escolas públicas e particulares às terças-feiras com o Bibliotur; acervo com cerca de 50 livros na Gibiteca e Mangateca; jornais e revistas na Hemeroteca; e as rodas de conversa e sarau espaço Memória Literária de Guarulhos.

Dentre esses, o Espaço Troca Livros proporciona aos guarulhenses a possibilidade de doar os livros que já leu e conseguir outros ainda não lidos. Contudo, para poder trocar, é necessário observar alguns critérios, como a troca de assunto por assunto, doação de livros em bom estado de conservação, quantidade máxima de trocas e reservas, entre outras.

 




Outras Notícias