Cookie Consent by FreePrivacyPolicy.com Portal da Secretaria de Educação de Guarulhos


EducaCEU amplia saberes e aprendizagens dos estudantes com atividades no contraturno escolar



Por Carla Maio
Publicado em 13/08/2021
Editado em 19/08/2021, às 15:11

807 visualizações


Garantir oportunidades para o desenvolvimento integral das crianças, ampliar as vivências e as experiências culturais e esportivas, minimizar a vulnerabilidade social e promover atividades que estimulem a construção do conhecimento, o pensamento crítico, o protagonismo e a autonomia dos estudantes. Alunos da rede municipal, matriculados nas escolas que integram o complexo dos CEUs de Guarulhos, contam agora com mais uma forma para desenvolver seus saberes e aprendizagens intelectuais e motoras: O EducaCEU.

Iniciativa da Secretaria de Educação com apoio da Escola 360, o EducaCEU é oferecido nos 12 CEUs da cidade. O programa amplia o tempo de permanência das crianças dentro de instituições educacionais e oferece aos estudantes atividades complementares no contraturno escolar nas mais diversas áreas, da prática esportiva com futebol e Badminton a musicalização infantil, passando por aulas de Yoga, línguas, recreação, desenho, artes plásticas, ginástica, entre outras. 

O que dizem os alunos?

Animados e cheios de energia, Monick Isabelly, de 10 anos, e Otávio Macedo, 9, alunos do 4º ano da EPG Vereador Carlos Franchin começaram na turma de Iniciação Esportiva com o professor André Britto de Araujo. Primos, eles contam que estão interessados em aprender a jogar futebol. “Estou matando a saudade das aulas e muito feliz por voltar para a escola”, conta Otávio. Monick decidiu se matricular nas aulas para atender a um pedido do pai, para que desinstalasse do celular alguns aplicativos que estavam tomando muita atenção da menina. “Eu ficava muito tempo usando o celular e isso estava atrapalhando os estudos, por isso, praticar esportes vai me ajudar a ter mais concentração”, conta.


Inspirada nas conquistas de medalhas da atleta Rebeca Andrade nas Olimpíadas em Tóquio, a aluna do 4º ano da EPG Hamilton Felix, Isabelly Delmondes, 10, ficou surpresa quando descobriu que o EducaCEU oferecia aulas de ginástica. “A diretora foi até minha sala entregar o papel e logo eu quis me matricular. Eu não sei se um dia vou participar de um campeonato como a Rebeca, mas essa é uma boa forma de diversão, ter mais uma atividade diária e estar com meus amigos”. 

A Maria Vitorya 9, colega da Isabelly, ficou interessada nas aulas de teatro do EducaCEU. “As pessoas que fazem teatro são muito divertidas, como meu primo, eu quero fazer teatro para ser uma atriz muito melhor que ele”, conta a menina.

De acordo com a chefe de Divisão do Programa Escola 360, Luciana Morais de Paula, a proposta educacional do município reconhece e valoriza a importância de proporcionar aos alunos educação integral. 

“Dada à infraestrutura dos CEUs, há infinitas potencialidades educacionais que podem ser despertadas nesses espaços, mais do que um Centro de Educação Unificado é um espaço de garantia de direitos. Dessa forma, o EducaCEU objetiva contribuir para a garantia dos direitos de aprendizagem, conforme os documentos oficiais, como a Base Nacional Comum Curricular e a Proposta Curricular, o QSN, elaborado democraticamente com os docentes de nossa rede”, enfatiza Luciana.

Trabalho coletivo

Em um contexto de expansão do olhar pedagógico, que extrapola os muros das escolas e ganha espaços não-formais de aprendizagem, o programa se apresenta como oportunidade de direcionamento das equipes e parte das atividades realizadas nos CEUs para os alunos. 


De acordo com o professor Fábio Vianna, que dá aulas de teatro no CEU Ponte Alta, ampliar o período integral das crianças nas escolas de forma gradativa reduz a vulnerabilidade social à qual os alunos estão expostos. No contexto das aulas do Projeto Teatro-Escola 360, ampliadas para atendimento dos participantes do EducaCEU, Fábio esclarece que o objetivo é trazer para os educandos novas possibilidades para a vida. 

“Nossa expectativa é de que o educando encontre formas de ser mais sensível, que aprenda a trabalhar coletivamente, ser quem quer ser e poder se expressar livremente”, explica o professor ao observar a importância de se oferecer materiais e locais adequados para as aprendizagens. 

Em suas aulas, o jovem professor segue todos os protocolos de segurança contra a Covid-19 para realizar um trabalho dedicado à expressão corporal, foco, senso de coletivo, criatividade e imaginação e, para tanto, lança mão de personagens do teatro de bonecos, o que permite plena participação dos alunos.  

Fábio é um dos cerca de 50 professores da rede municipal engajados com o planejamento de atividades do EducaCEU e que apresentou projeto para atendimento dos alunos no contraturno escolar. No ano que vem, a Secretaria de Educação prevê a ampliação do tempo de permanência dos estudantes nas atividades complementares nos CEUs, que passarão das atuais duas horas para 8 horas semanais, com turmas às segundas e quartas-feiras e terças e quintas-feiras.

Entusiasmo

Teresa Miras, gestora do CEU Ponte Alta, explica que as famílias e responsáveis pelos alunos ainda podem matriculá-los no EducaCEU. “O Programa EducaCEU vem dar rosto à identidade dos CEUs na cidade. Nossa expectativa é trazer na prática o estreitamento entre comunidade e escola, complementar o currículo escolar com a vivência nas mais variadas linguagens, ampliar seu repertorio e visão de mundo por meio das artes e esportes, e colocar todos os tempos e espaços à serviço da formação integral desses alunos”, explica a gestora.


Em poucos dias de implementação, as escolas já puderam perceber o retorno positivo do programa nesse período pós-pandemia, de retorno dos alunos ao ambiente escolar. “O programa tem contribuído para a adaptação das crianças e resgate da alegria das crianças em estar no ambiente do CEU e da escola”, observa Teresa.

Para falar sobre a expectativa da EPG Edson Nunes Malecka em relação ao projeto, sobretudo para a aprendizagem dos alunos, Manoel Rodrigues Portugues, diretor da unidade acoplada ao CEU Ponte Alta, toma como base a etimologia entusiasmo. “Entusiasmo é uma palavra muito importante, que faz muito sentido. Ela é de origem grega, em que “en” significa dentro e “teo”, Deus; então, a palavra tem um significado potente, como se Deus estivesse dentro da gente. E é com muito entusiasmo que vejo esse projeto, pois ele é a materialização de um sonho muito antigo, contrário a todos os retrocessos artísticos, culturais e esportivos da LDB 5692, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 1971, que transformou a escola num espaço tecnicista e reducionista de conhecimento, das capacidades cognitivas e de uma vida social baseada em valores e ética. A exemplo da nova LDB 9394, de 1996, redigida pelo antropólogo Darcy Ribeiro, o EducaCEU traz de volta à escola novas possibilidades ao proporcionar uma formação densa e intensa, trazendo as crianças para uma convivência e vida coletiva de forma saudável, justa e mais feliz, permitindo que as pessoas sejam protagonistas de suas vidas”. 

Ainda há vagas para matrículas de alunos das escolas acopladas e os interessados devem entrar em contato com o CEU para agendar dia e horário durante o cadastro do aluno nas atividades. 


Galeria



Assuntos Relacionados

Escola 360


Outras Notícias