Cookie Consent by FreePrivacyPolicy.com Portal da Secretaria de Educação de Guarulhos


Programa Mulheres que Cantam apresenta show especial de um ano



Por Carla Maio
Publicado em 21/06/2022
Editado em 21/06/2022, às 15:02

76 visualizações


O programa Mulheres que Cantam comemora aniversário de um ano e, para marcar a data com grande celebração, convida ao palco do Teatro Adamastor as cantoras Tata Martinelli, Elaine Vale, Carolina Frozza e Paula Pellegrini para show no próximo domingo (26), às 19h. O evento é presencial e aberto ao público, com transmissão pelo canal do projeto no YouTube

O show-live com artistas de Guarulhos e outras regiões tem como objetivo mostrar a força da música brasileira, representada na expressividade da voz feminina. Em meio ao repertório há canções de diferentes gêneros, do gospel ao sertanejo, passando pelo rock, pop e música brasileira. 

Iniciativa da Prefeitura de Guarulhos, por meio da Secretaria de Cultura, essa edição do programa Mulheres que Cantam é apresentada pela jornalista Renee de Oliveira e coordenada pela pianista e compositora Aline Rissuto e pelo agente cultural Paulinho Trewasae. 

Para saber mais, acompanhe o perfil do projeto no Facebook e Instagram. Para saber mais sobre os eventos culturais que acontecem na cidade, acesse https://www.guarulhos.sp.gov.br/agendacultural.

O Teatro Adamastor fica na Av. Monteiro Lobato 734, no Macedo.

Sobre o programa

Em 2020 nascia o projeto Mulheres que Cantam com o objetivo de valorizar a voz feminina e exaltar o talento de mulheres artistas da cidade de Guarulhos. Idealizado e dirigido pelo agente cultural Paulinho Trewasae, as duas edições em formato presencial aconteceram nos meses de janeiro e fevereiro de 2020, no Teatro Adamastor. Entre os talentos da cidade, quatro cantoras por edição são convidadas e apresentam quatro músicas cada. O evento tem gerado positiva repercussão em meio ao público que o acompanha.  

Sobre as cantoras

Tata Martinelli


Tata Martinelli é cantora, compositora, professora de musicalização infantil e jurada do programa Canta Comigo, da Record TV. Foi backing vocal da cantora Wanderléia, Edy Star e da banda de rock paulistana Made in Brazil. Começou cantando na orquestra Zaccaro e, atualmente, segue carreira como cantora profissional. 

Elaine Vale


Elaine Vale começou a cantar na igreja ainda criança, influenciada por seu pai que tocava violão. Se interessou pelo piano e começou a estudar o instrumento aos oito anos. Decidiu fazer faculdade de música para aperfeiçoar seus conhecimentos e isso acabou virando profissão. É pós-graduada em Educação Musical e está se especializando em Musicoterapia. Sua verdadeira paixão é tocar e cantar o amor de Deus.

Carolina Frozza


Carolina Frozza é compositora e cantora paulista. Filha de uma baiana e de um barriga verde, combina a sonoridade do Sul do país com a do Nordeste brasileiro em uma vertente poética, emergindo na musicalidade do pop com leveza e autoridade. Seu objetivo como artista é devolver o potencial inigualável da mulher que alguma vez na vida desacreditou de si mesma, que mesmo carregando o mundo inteiro nas costas ainda consegue andar de cabeça erguida e de sapato alto. Atualmente, Carolina Frozza tem lançamento marcado com o single Eu sei que é você. A cantora e compositora é extremamente ativa nas redes sociais, para ficar por dentro de todas as novidades basta seguir.

Paula Pellegrini


Desde muito nova, Paula Pellegrini tinha verdadeira fascinação pela música. Aos sete anos estudou violão; aos 15, passou a cantar em karaokês. Começou o curso de Artes Cênicas, mas acabou interrompendo por não conseguir manter-se de arte. Com a perda de Roberta, sua irmã mais nova, deixou de cantar por quase 20 anos, até que, por intermédio de uma grande amiga, assistiu pela primeira vez ao DVD de uma cantora brilhante, pela qual sentiu amor à primeira vista: Marília Mendonça. Inspirada por Marília, aprofundou seus estudos de técnica vocal em uma grande escola, aperfeiçoando-se também em piano, violão e ukulelê. Para Paula, perder essa referência foi como perder a irmã pela segunda vez. Desta vez, a dor se transformou em força para seguir cantando e idealizar o que hoje se tornou o projeto mais importante da sua vida: cantar.





Assuntos Relacionados

Cultura


Outras Notícias