Cookie Consent by FreePrivacyPolicy.com Portal da Secretaria de Educação de Guarulhos


Montagem contemporânea da ópera Chapeuzinho Vermelho foca identificação do público com a protagonista



Por Carla Maio
Publicado em 23/08/2023
Editado em 20/09/2023, às 16:38

485 visualizações


Você já imaginou como seria a Chapeuzinho Vermelho se ela fosse uma menina que frequenta os CEUs de Guarulhos e gostasse de andar de patins e skate? É com este espírito de encanto e imaginação que a ópera Chapeuzinho Vermelho desbrava os espaços educativos da cidade até o dia 23 de setembro, em um circuito de espetáculos que acontece em todas as regiões e leva para cada uma delas sorrisos e emoções.

No próximo sábado (26), o Centro Municipal de Educação e Artes (Cemear), no Macedo, recebe o espetáculo às 10h, e o CEU Ottawa-Uirapuru logo mais à tarde, às 15h.  

A ópera Chapeuzinho Vermelho integra a programação do II Festival de Ópera de Guarulhos, iniciativa da Prefeitura, por meio da Secretaria de Cultura, para a oferta de espetáculos gratuitos, grande produção que muito além de dar visibilidade à ópera, também recebe elenco premiado com cantores, diretores e especialistas do gênero.

Uma Chapeuzinho igual a você


No universo de criação do diretor cênico Felipe Venâncio, Chapeuzinho Vermelho é uma criança com um desenvolvimento diferente das demais crianças, e que cria mundos e histórias e personagens imaginárias.

Obra secular, composta em 1911 pelo compositor russo César Cui, Chapeuzinho Vermelho recebeu montagem contemporânea para encenação no Cemear, Adamastor e CEUs de Guarulhos. 

Em meio aos diversos anseios da equipe de produção, a aproximação e identificação com o público, sobretudo com as crianças que assistem à ópera completamente deslumbradas com o espetáculo, é o grande diferencial desse espetáculo.

Quando começou a idealizar a encenação da Chapeuzinho Vermelho, com cenografia própria para a circulação em diferentes espaços, Felipe Venâncio quis enfatizar a ideia do brincar, sobretudo na atuação das cantoras Tatiane Reis, Daiane Scales e Cíntia Cunha. Assim, optou pelo uso de recursos mais comuns no teatro de prosa, em que o jogo e a brincadeira dos atuantes com o espaço e a narrativa são muito presentes. 

“Surgiu a proposta de que a encenação pudesse sair de um livro, uma história em três dimensões. Por isso, em cena, a presença do livro torna-se pedra fundamental do espetáculo, porque é de dentro dele que saem as histórias e, também, os brinquedos. Em seguida, os adereços e objetos de cenas tornaram-se brinquedos e brincadeiras que se abrem e se fecham enquanto se transformam em novos brinquedos”, explicou Venâncio. Do processo criativo à sala de ensaio, a construção das dinâmicas das cenas contou com a aproximação do elenco com diversos brinquedos, jogos e dinâmicas. 

Em relação à direção musical, Felipe Venâncio destaca ainda a atuação do regente assistente das orquestras de Guarulhos, Kevin Camargo. “Brincamos com as palavras e com a musicalidade para chegar a um lugar em que ambos ficamos satisfeitos e contentes com o resultado”, contou Venâncio ao destacar o dinamismo do pianista Jordan Alexander ao criar repetições musicais essenciais para o tempo de cena. 


Além de nuances e cores alcançadas com as luzes de Presto Kowask, para tornar a personagem ainda mais próxima das crianças e marcar a contemporaneidade da ópera, a produção contou com a expertise dos figurinos e visagismo de Malonna e Polly.Br, profissionais com as quais Venâncio já trabalha há bastante tempo. Em cena, a sensibilidade de ambas com o trabalho e cumplicidade com o elenco e com a direção resultou em uma Chapeuzinho Vermelho que se veste e brinca como qualquer criança poderia se vestir e brincar. 

O circuito de apresentações da ópera Chapeuzinho Vermelho nos espaços educativos de Guarulhos segue até o dia 23 de setembro e conta com o apoio do Programa Mais Futuro, que dentre vários aspectos objetiva a circulação de eventos culturais nos espaços públicos da cidade. 

Confira as datas dos próximos espetáculos:

26 de agosto

10h - CEMEAR

Rua Abílio Ramos, 122 - Macedo

15h - CEU Ottawa-Uirapuru

Rua Morada Nova, nº 208 – Jd. Ottawa

2 de setembro

10h - CEU Continental
R. Alzimar Vargas Batista, 284 - Parque Continental II

15h - CEU Rosa de França
Rua Sergipe, s/nº – Jd. Rosa de França


9 de setembro

10h - CEU Paraíso-Alvorada
Rua Dom Silvério, s/n - Vila Paraíso

15h - CEU Bonsucesso
Avenida Paschoal Thomeu, s/nº - Bonsucesso


16 de setembro

10h - CEU São Rafael
Rua Deus do Sol, s/nº - Vila São Rafael

15h - CEU Jardim Cumbica
Avenida Atalaia do Norte, nº 544 – Jd. Cumbica


23 de setembro

10h - CEU Parque São Miguel
Rua Joaquim Moreira, s/nº - Pq. São Miguel

17h - Teatro Adamastor
Av. Monteiro Lobato, 734 – Macedo


Ficha técnica

Libretto: César Cui e Marina Stanislavona
Versão brasileira: Irineu Perpétuo
Direção Musical: Kevin Camargo
Direção Cênica e cenografia: Felipe Venâncio
Chapeuzinho Vermelho: Tatiane Reis
A Mãe, a Vovozinha e o Caçador: Daiane Scales
O Lobo e o Lenhador: Cintia Cunha
Piano: Jordan Alexander
Produção Executiva e Assistência de direção: Gabriel Pangonis
Desenho, montagem e operação de luz: Presto Kowask
Montagem e operação de luz: Cayene Moreira
Figurino e Visagismo: Malonna e Polly.Br

Galeria




Outras Notícias