Cookie Consent by FreePrivacyPolicy.com Portal da Secretaria de Educação de Guarulhos


Guarulhos é bicampeã do campeonato artístico-literário para crianças surdas



Por Danielle Andrade
Publicado em 30/11/2022
Editado em 02/12/2022, às 11:03

748 visualizações

Alunos surdos do curso de português como segunda língua do Cemear (Centro Municipal de Educação e Artes da Prefeitura de Guarulhos) conquistaram pela segunda vez o primeiro lugar no 2º Campeonato Artístico-Literário para Crianças Surdas, na última sexta-feira (25). Promovida pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a iniciativa integra o projeto #CasaLibras, com ações do setembro azul ao mês da criança em celebração aos trabalhos realizados por alunos da comunidade surda de escolas públicas.

Durante a live de premiação e divulgação dos vencedores no canal do #CasaLibras no Youtube (https://www.youtube.com/watch?v=P5KUKTo6iUc) foi apresentada a equipe de professores do departamento de Psicologia da UFSCar, que ajudou a produzir a proposta deste ano, que teve como tema central a vida de Louise Waiser, poetisa surda francesa. Além disso, alunos surdos e ouvintes, professores bilíngues, intérpretes de Língua Brasileira de Sinais (Libras) e representantes de escolas com programas bilíngues participaram de bate-papo e compartilhamento de experiências sobre a narrativa.

“O campeonato promovido para crianças surdas objetivou aproximar e incentivar a ação artístico-literária por meio da disseminação de produções culturais em Libras. A atividade despertou o interesse dos alunos surdos sobre as lutas históricas de sujeitos surdos e suas conquistas, mostrando a beleza da diferença surda ao mesmo tempo em que estimulou o interesse literário e o conhecimento pela história da educação de surdos”, explicou Vanessa Regina de Oliveira Martins, professora e coordenadora do #CasaLibras.

Foram inscritos 31 trabalhos de alunos da educação básica, com votação online de professores, escolas e diversos profissionais. O campeonato reuniu as crianças surdas ou ouvintes de diversos estados para elaborar ilustrações sobre o tema. Guarulhos foi destaque mais uma vez, com quatro alunos surdos em duas categorias.

Na categoria Melhor História em Quadrinhos feita manualmente Ensino Fundamental II), o aluno Daniel Alves Rebouças, de 10 anos, conquistou o 1º lugar, e Matheus Yuta Haruyama da Silva, de 15 anos, o 2° lugar. Os alunos estudaram na classe bilíngue de surdos da Escola da Prefeitura de Guarulhos (EPG) Crispiniano Soares, no Jardim Bom Clima.

Já na categoria Melhor História em Quadrinhos feita manualmente (Ensino Fundamental I), Andrew Gustavo Silva de Macedo, 12 anos, ficou em 2º lugar e Guilherme Silva dos Santos, 10 anos, na terceira colocação. Ambos são alunos da EPG Edson Nunes Malecka, localizada no Jardim Ponte Alta.


Inclusão

Vanessa ressalta que a vitória desses alunos marca uma virada histórica de valorização e respeito às diferenças. “Estamos imensamente gratos pelo encerramento deste evento tão importante. A inclusão acontece quando vemos colegas ouvintes, como vimos hoje em muitas das escolas participantes, que torceram e vibraram com a vitória de seus amigos surdos inscritos no campeonato”.

Em 2021, a vencedora do Campeonato Virtual de Literatura em Libras foi a aluna guarulhense Jhulya Lima dos Santos, da EPG Crispiniano Soares, que ganhou na categoria Melhor Narrativa pela Criatividade e Incorporação de Personagens.


Ensino gratuito

O curso de português como segunda língua para surdos é oferecido pela Prefeitura de Guarulhos no Cemear, na rua Abílio Ramos, 122, Macedo. As aulas são no formato presencial e destinadas a pessoas com idade entre 9 e 18 anos.

Ministrado pelo professor bilíngue de surdos, Rafael Miguel, o ensino tem como objetivo ampliar o conhecimento da leitura e da escrita através de vivências, dinâmicas, jogos e encaminhamentos didático-metodológicos adequados às suas peculiaridades linguísticas e culturais.

Mônica Tomoko Haruyama, mãe do aluno Matheus da Silva, relatou que o curso vem ajudando seu filho a avançar na compreensão da língua portuguesa de forma interativa. “Matheus é autodidata. Ele faz parte do transtorno do espectro autista (TEA), então teve muita facilidade em aprender a língua inglesa e Libras para se comunicar. Sendo assim, o curso no Cemear faz com que ele compreenda melhor o português no seu dia a dia com os colegas. Como conhecemos o trabalho do professor Rafael há muitos anos, as aulas são uma forma de incentivar e potencializar as aprendizagens do Matheus. A rede municipal possui professores maravilhosos para alunos surdos, desde quando ele foi para a EPG Crispiniano Soares, começou a ter contato com outras crianças surdas e a se desenvolver ainda mais”, destaca Monica, que também aprendeu Libras para se comunicar melhor com o filho.

Galeria




Outras Notícias